Pecuária de Leite

Em execução desde julho de 2005, A estrutura de ordenha possui sistema de última geração, totalmente computadorizado. Até a localização da sala de ordenha é estratégica e foi pensada com a finalidade de oferecer o máximo de conforto às vacas.

619-fazenda-537.jpg

O projeto prevê posição solar e aeração adequadas para o bem estar dos animais, que não podem sentir calor. A sala possui capacidade para 40 animais por ordenha e outra de espera capaz de suportar mais 120 animais. Uma vez na ordenha, o único contato das trabalhadoras com a vaca se dá na limpeza do úbere e realização dos testes de qualidade. Não há contato externo com o leite, que é retirado do úbere pela ordenhadeira mecânica e levado, a partir de tubulações, até os tanques, que tem a capacidade total de 20.000 litros. Neste reservatório, a temperatura é rebaixada de 38 graus (temperatura que sai da vaca) para 4 graus, o que estabiliza a proliferação de bactérias. O objetivo é oferecer produto de qualidade, em volume e com regularidade. Quando o projeto começou a ser idealizado, foi levado em conta o aproveitamento da mão-de-obra disponível na Granja: as esposas dos funcionários, que ficavam restritas às tarefas de casa, demonstraram disposição em trabalhar. As características peculiares ao sexo feminino (paciência, atenção, higiene e detalhismo) tornaram a mão-de-obra ideal à condução com o gado leiteiro, além disso, nenhuma possuía experiência o que tornou mais fácil o treinamento.
Atualmente está em projeto a implantação de um sistema novo de manejo, “COMPOST BARN”, que é manter os animais confinados sob compostagem, em um mesmo galpão com capacidade inicial de 500 vacas.